Categorias
Sem categoria

Suprema Corte mexicana reconhece o direito de profissionais de saúde a negar aborto

A Suprema Corte de Justiça da Nação (SCJN) do México julgou uma ação de inconstitucionalidade apresentada pela Comissão Nacional dos Direitos Humanos, que pedia a derrubada de artigos sobre objeção de consciência da Lei Geral de Saúde.

Na primeira parte do julgamento, a maioria dos juízes decidiu que os três primeiros artigos contestados pela Comissão Nacional dos Direitos Humanos não são inconstitucionais. Assim, os profissionais de saúde só serão obrigados a participar em práticas como o aborto “quando se ponha em risco a vida do paciente ou se trate de uma urgência médica”, como já consta da Lei Geral de Saúde.

O julgamento do resto das contestações da Comissão Nacional dos Direitos Humanos continua na segunda-feira, 20 de setembro.

O presidente da Frente Nacional pela Família (FNF), Rodrigo Iván Cortés, disse à ACI Prensa que “após a votação de hoje já podemos dizer que a Corte decidiu não declarar inconstitucional o direito à objeção de consciência”.

“Obviamente, há várias questões que vão continuar sendo discutidas e votadas”, disse ele, “mas em essência o que já votaram e ficou firme é que a Suprema Corte decidiu que não é inconstitucional o direito à objeção de consciência no âmbito da saúde, contido na Lei Geral de Saúde, que é uma lei federal”.

Cortés disse que a decisão “é algo absolutamente surpreendente” depois das decisões contra a vida que os ministros da SCJN tomaram na semana anterior. No dia 7 de setembro, a Suprema Corte mexicana, com 10 votos dos 11 ministros presentes, declarou a inconstitucionalidade de artigos do Código Penal de Coahuila que penalizavam o aborto e os profissionais de saúde que realizassem ou colaborassem com a prática.

Dois dias depois, em 9 de setembro, os mesmos 10 ministros da SCJN declararam inconstitucional que a Constituição estatal de Sinaloa proteja a vida desde o momento da concepção.

Enquanto a Suprema Corte discutia o direito à objeção de consciência, mais de 2,5 mil pessoas se manifestaram na frente do prédio do tribunal, no centro da Cidade do México, a favor da vida, da liberdade de consciência e rejeitando o aborto.

Através da plataforma CitizenGO, mais de 70 mil pessoas assinaram uma campanha rejeitando o aborto e as decisões da Suprema Corte.

Mais de 30 mil pessoas assinaram uma campanha semelhante na plataforma Actívate.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S7jCNL

Categorias
Sem categoria

Missão faz viagem secreta para restaurar tumba do profeta Naum no Iraque

Em abril de 2017, dois jipes trafegaram por uma estrada de areia no Curdistão iraquiano em direção ao pequeno vilarejo cristão de Alqosh. Nos carros estavam dois engenheiros israelenses, um em cada, por motivos de segurança. Eles entraram no país com os únicos passaportes que possuíam – israelense – para participar de uma extraordinária missão de reconstrução.

Durante a viagem, Yaakov Schaffer e Meir Ronen viram através de janelas lacradas dos carros cenas de destruição devastadora deixadas por quase duas décadas de guerra. A cerca de 24 quilômetros de distância, combatentes do grupo terrorista do Estado Islâmico lutavam contra o exército iraquiano.

Ao se aproximarem da aldeia, os jipes pararam e Schaffer e Ronen desceram, acompanhados por seus seguranças curdos. A pé, eles subiram na cidade e seguiram direto para o local de antiguidades na parte norte da cidade antiga: a Tumba de Naum, o profeta do Velho Testamento.

Por décadas, o povo de Alqosh guardou um santuário antes reverenciado pelos judeus locais como o local de descanso final do profeta. Mas a estrutura que estava diante deles estava desmoronando em torno de um telhado desabado.

“As paredes e pilares estavam rachados e desmoronando. Parecia que o resto do prédio iria desabar a qualquer minuto”, lembrou Adam Tiffen, um empresário americano e gerente de projeto que havia visitado o local um ano antes e estava lá naquele dia com os israelenses.

Após examinar a estrutura, eles revelam as opções para salvar o local antigo.

Schaffer e Ronen são especialistas na restauração de sinagogas que datam da antiguidade. Schaffer ocupou cargos gerenciais na Autoridade de Antiguidades de Israel e agora tem parceria com Ronen em soluções de engenharia para antigas casas de culto judaicas.

Tiffen estava lá como voluntário da Aliança para a Restauração do Patrimônio Cultural, conhecida como ARCH. Tiffen e o presidente do ARCH, Cheryl Benard, seu chefe, visitaram o local em 2016 e juntos decidiram restaurar a Tumba de Naum e uma sinagoga adjacente no coração do Iraque devastada pela guerra.

“Por milhares de anos, a história do povo judeu esteve intrinsecamente entrelaçada com o tecido cultural da região. Nas últimas décadas, essa conexão fundamental estava sendo apagada, por meio de destruição deliberada ou negligência benigna”, disse Tiffen ao ToI.

“Tanto é verdade que, apesar do êxodo judeu estar dentro da memória viva, quase nenhum vestígio permanece da vibrante e duradoura história judaica da região. Se nada fizéssemos para preservar o que restou, a história e o conhecimento da vida judaica na região seriam completamente perdidos.”

Chegada secreta

A missão de restauração do prédio histórico incluiu infiltrar israelenses no Iraque para avaliar os danos ao telhado do prédio e a melhor maneira de restaurá-lo.

Também envolveu o acesso ao profundo conhecimento da comunidade curdo-judaica e de seu decano não oficial Mordechai Zaken, um estudioso que foi fundamental no planejamento da restauração da tumba e que faleceu há poucos meses.

Por trás de tudo estava o ARCH, uma organização sem fins lucrativos fundada pelo especialista em segurança nacional Cheryl Benard, especialista em segurança nacional e esforços de reconstrução do pós-guerra.

Benard, cujo marido Zalmay Khalilzad liderou os esforços diplomáticos dos EUA no Afeganistão e no Iraque, ficou impressionada em suas viagens ao redor do mundo com a resiliência e criatividade de indivíduos e grupos que tentam salvaguardar seus tesouros nacionais, mesmo nas circunstâncias mais difíceis.

O envolvimento de Tiffen com o ARCH se originou de seu tempo no Iraque e, depois que o grupo decidiu prosseguir com a restauração, ele se tornou a pessoa responsável pelo projeto.

Seu primeiro encontro com o túmulo, em 2016, foi uma tapeçaria de espanto e dor. “Fiquei surpresa com sua beleza e com as dezenas de inscrições em hebraico nas paredes”, lembrou ele a ToI. “Também fiquei chocada com sua condição terrível, com várias partes do telhado caindo e montes de entulho ao redor da tumba.”

Desafios

Um dos desafios do projeto foi encontrar recursos, principalmente pelo fato de não poder ser divulgado. A ARCH nunca havia assumido um projeto desta magnitude.

“Sem sucesso alcançamos a comunidade judaica, incluindo vários judeus de ascendência iraquiana e curda. Não fomos capazes de levantar fundos entre esta comunidade”, disse Tiffen. “Na maioria das vezes, todos com quem falamos pensaram que éramos um pouco malucos.”

“Estávamos tentando restaurar uma antiga sinagoga judaica, em uma cidade cristã, sob um governo islâmico, em um território disputado, a 15 quilômetros da linha de frente com o ISIS, que recentemente havia tentado atacar a cidade. A maioria das pessoas nos desejou sorte, mas não teve muito entusiasmo em apoiar o projeto”, acrescentou.

No final, o governo dos EUA injetou US$ 1 milhão no projeto e outros contribuíram também, incluindo os governos curdo e tcheco. Entre os que apoiavam o plano estava o presidente curdo, Nechirvan Barzani.

País devastado

Segundo os engenheiros, assumir um projeto para restaurar um santuário judaico em um país quase totalmente privado de judeus, dilacerado por décadas de guerra e sob a ameaça de um grupo terrorista sanguinário que já havia devastado o país e tesouros culturais da humanidade.

De acordo com Tiffen, a tumba era especial. Durante gerações, ela resistiu a ser transformada em igreja ou mesquita e, mais recentemente, também foi poupada pelo Estado Islâmico, que não foi tão gentil com a tumba de Nabi Younus, que se acredita ser o local onde o profeta Jonas está enterrado, ou um santuário em Mosul que alguns reverenciam como o local de descanso final do profeta Daniel.

“Dada a recente violência sectária e ataques do ISIS contra minorias religiosas como os cristãos e iazidis, também vimos a restauração como um símbolo de esperança e uma lembrança da história comum e da crença que todos compartilhamos”, continuou ele. “Judeus, cristãos e muçulmanos coexistiram na região por centenas ou milhares de anos. Talvez não perfeitamente, mas com um nível de tolerância e aceitação que não deve ser esquecido.”

Profeta Naum

O Livro de Naum, o sétimo dos 12 profetas menores encontrados na Bíblia, fala sobre a destruição da grande capital assíria, Nínive, localizada nos arredores da atual Mosul, um evento que provavelmente ocorreu por volta de 612 AEC.

“E acontecerá que todos os que te virem fugirão de ti e dirão: ‘Nínive está devastada; quem vai lamentar ela? de onde devo procurar consoladores para ti?’”.

Pouco se sabe sobre Naum, que se acredita ter vivido no século 7 AEC, e cuja família pode ter vindo para a Assíria junto com as tribos israelitas exiladas.

Enquanto alguns estudiosos colocam o território de Elkosh, de onde era Naum como sendo na Galileia, muitos outros o identificam com a cidade assíria de Alqosh.

A Tumba de Naum

Os judeus da região identificaram o santuário Alqosh como a tumba de Naum por séculos, senão milênios, e construíram uma sinagoga ao redor dele para hospedar os muitos peregrinos que lá chegaram.

“A questão é que há uma crença antiga, há mais de 2.000 anos, de que esta é a Tumba de Naum. Se por 2.000 anos as pessoas pensaram e acreditaram que é aqui que o profeta está enterrado, então essa estrutura é muito importante”, disse Schaffer.

Ninguém sabe quando data a sinagoga, mas Schaffer observou que o edifício foi construído em um estilo que lembra o rei Herodes, comparando-o a uma versão em miniatura do Segundo Templo em Jerusalém.

Enquanto planejavam a reconstrução, Tiffen e Benard fizeram várias viagens a Israel para se encontrar com membros da comunidade, incluindo líderes como Yehuda Ben Yosef e Zaken, o estudioso.

“Queríamos capturar o patrimônio cultural intangível – as histórias e lendas que os membros da comunidade podem ter e, de preferência, encontrar pessoas que se lembram de visitar a sinagoga quando eram jovens”, disse ele.

“Para os judeus, [a tumba restaurada] é um lembrete tangível de sua conexão com a terra e a sinagoga restaurada pode ajudar a educar as gerações futuras sobre a diversidade histórica, cultural e religiosa da região.”

Hoje, a tumba está aparentemente aberta aos visitantes, embora não esteja claro se os israelenses sejam bem-vindos.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S7djsz

Categorias
Sem categoria

Ministérios perdem contato com cristãos que não conseguiram fugir do Afeganistão

A International Christian Concern (ICC) fez um alerta sobre a situação dos cristãos que não conseguiram fugir do Afeganistão depois da tomada de governo por parte do Talibã.

É possível que a Igreja no país passe a ser perseguida de forma ainda mais severa e violenta. A Mission Network News (MMN) disse que ministérios clandestinos estão perdendo contato com suas redes dentro do país.

Abdar, um cristão afegão que estuda no Paquistão, esteve no Afeganistão no mês passado para fazer evangelismo e, há mais de uma semana, não há notícias dele. “Ele esteve conosco nos últimos meses, mas perdemos contato”, disse Neemias que trabalha para o Forgotten Missionaries International (FMI).

Segundo ele, desde que o Talibã retomou o controle do Afeganistão, em meados de agosto, muitos ministérios que trabalham com a igreja clandestina do país têm tentado evacuar os cristãos em risco. 

“Em muitos casos, no entanto, os ministérios perderam o contato com suas redes e parceiros no país”, comentou.

Cristãos estão sendo ameaçados

De acordo com a MMN, o Afeganistão tem muito pouco em termos de igreja organizada. Muitas comunidades cristãs são extremamente secretas e permanecem clandestinas devido à opressão e perseguição generalizadas.

O FMI relata que o Talibã está de olho nos cristãos, até mesmo enviando cartas ameaçadoras alertando-os para não se encontrarem. “Um homem recebeu uma carta dizendo que sua casa agora pertence ao Talibã”, disse Neemias.

“Ele é um homem simples que faz artesanato, e todas as suas economias estão em sua casa. O Talibã tomará a propriedade e os bens dos cristãos”, continuou.

A comunidade cristã do Afeganistão é quase exclusivamente composta de convertidos do Islã. Alguns estimam que haja entre 8.000 e 12.000 cristãos, tornando-se um dos maiores grupos religiosos minoritários do país.

O status de “convertidos” torna os cristãos afegãos alvos diretos de perseguição tanto por grupos extremistas quanto pela sociedade em geral. No Afeganistão, deixar o Islã é considerado extremamente vergonhoso e os convertidos podem enfrentar terríveis consequências se sua conversão for descoberta.

De acordo com a ideologia do Talibã, o Afeganistão é um país muçulmano e os não-muçulmanos devem deixar o Afeganistão ou aceitar o status de segunda classe. Para o Talibã eles são apóstatas e sujeitos às consequências mais mortais da Sharia (Lei Islâmica). 

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S7YzXr

Categorias
Sem categoria

Judoca argelino é suspenso por 10 anos após se recusar a lutar contra israelense em Tóquio

A Federação Internacional de Judô (IJF) suspendeu por 10 anos o judoca argelino Fethi Nourine e seu técnico, Ammar Benkhalaf, após o atleta se recusar a competir contra um judoca israelense nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Nourine e o técnico estão proibidos de participar de atividades ou competições. A decisão entra em vigor a partir de 23 de julho do ano que vem e eles têm 21 dias para apelar, conforme o Middle East Monitor.

O judoca da Argélia desistiu das Olimpíadas de Tóquio para evitar lutar contra o israelense Tohar Butbul. Nourine estava escalado para lutar contra Mohamed Abdalrasool, do Sudão, na categoria de 73 quilos. Caso ele vencesse, competiria contra Tohar na próxima rodada.

Para evitar um possível confronto, o argelino se recusou a competir já na primeira rodada. Na época, Nourine afirmou que tomou a decisão, apoiada pelo seu treinador, para “apoiar a causa palestina”. 

Logo depois da desistência, a Federação Internacional de Judô suspendeu temporiamente Nourine e Benkhalaf. E o Comitê Olímpico da Argélia retirou o credenciamento de ambos e os mandou para casa. 

Comentando sobre sua suspensão de 10 anos, Fethi Nourine afirmou que não se arrepende de sua decisão em Tóquio. 

“É uma punição severa, mas era esperada e isso prova que eles apóiam o terrorismo sionista contra nosso povo em Gaza. Eles são cúmplices dos crimes da ocupação. Não cometi nenhuma violação; minha retirada foi simplesmente um ato de solidariedade com os palestinos”, declarou o argelino à Agência de Notícias Tasnim. 

Nourine também abandonou o Campeonato Mundial de Judô de 2019, em Tóquio, para não enfrentar um atleta israelense. 

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S7VR9S

Categorias
Sem categoria

Bíblia será traduzida para 95% dos idiomas do mundo até 2033, prevê YouVersion

Com o rápido avanço da tecnologia e do trabalho de tradução, o fundador do aplicativo YouVersion prevê que 95% da população global poderá ter acesso a uma Bíblia completa em 2033.

O YouVersion, plataforma gratuita de Bíblias, fez parceria com a IllumiNations, uma aliança de organizações parceiras de tradução da Bíblia, para apoiar o amplo projeto que visa também a tradução do Novo Testamento para 99,9% da população mundial até a mesma data.

Bobby Gruenewald, da YouVersion, disse ao Premier Christian News que as dificuldades com a tradução têm sido uma barreira histórica. “Existem muitas línguas faladas no mundo que as pessoas não fazem nem ideia. São bem mais de 6.000 línguas”, explica. 

“Ainda há muitas pessoas e milhares de línguas que não têm acesso às Escrituras em seu idioma nativo. Eles podem falar outra língua, mas não é a língua nativa, a língua que falavam quando eram novos. Então, estamos muito entusiasmados em fazer parte de um esforço para mudar isso e tornar essa realidade diferente daqui para frente”, acrescenta.

Novas metodologias e tecnologias estão ajudando na aceleração da tradução da Bíblia. Além disso, segundo Gruenewald, um esforço colaborativo tem acelerado o ritmo de tornar a Bíblia acessível em todo o mundo.

“Os doadores se reuniram para dizer que vão apoiar este esforço coletivo que está acontecendo. Com isso, junto com novas metodologias e tecnologias que aumentaram a velocidade da tradução da Bíblia, achamos que é possível até 2033 ver a palavra de Deus traduzida para 100% dos idiomas, ver o Novo Testamento disponível em 99,96% dos idiomas disponíveis, e a Bíblia inteira traduzida em 95% dos idiomas”, prevê Gruenewald.

“Esse é um objetivo que parecia impossível”, continua. “A maioria das pessoas pensava que levaria pelo menos mais 100 ou 200 anos no ritmo que estávamos indo, mas houve uma rápida aceleração e ainda há muito trabalho pela frente, mas definitivamente há esperança e uma sensação de que isso é possível em 2033.”

O aplicativo da Bíblia YouVersion teve seu maior crescimento durante a pandemia — muito disso se deve ao conteúdo em vídeo, um de seus recursos mais populares. “Vimos cerca de 500% de crescimento ano após ano”, disse Gruenewald.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S7R1nY

Categorias
Sem categoria

Missão brasileira resgata cristãos do Afeganistão e constrói casas para recebê-los

A Missão em Apoio à Igreja Sofredora (MAIS) está resgatando cristãos do Afeganistão, após a retomada do Talibã ao governo, e construindo casas para recebê-los no Brasil. 

O projeto SOS Afeganistão está levando os afegãos resgatados para países vizinhos, de forma provisória, até que os processos de liberação para a vinda ao Brasil como refugiados sejam finalizados.

Na semana passada, o governo brasileiro autorizou a emissão de visto humanitário para afegãos. Nas redes sociais, o ex-prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, disse que havia feito um pedido ao presidente Jair Bolsonaro para que o Brasil passasse a receber os refugiados.

“Há no Paraná a Missão MAIS, que tem os recursos para mandar passagens para dezenas de cristãos do Afeganistão, que agora estão indo ao Paquistão, trazê-los para o Brasil e aqui abrigá-los. Eu então mandei uma mensagem para o Presidente da República, porque era necessário que o Brasil autorizasse. E o Presidente me enviou a portaria para darmos vistos de refugiados para os afegãos”, disse Crivella, em vídeo nas suas redes sociais.

Cidade refúgio

Segundo o pastor e missionário Luiz Renato Maia, diretor da Missão MAIS no Brasil, o projeto SOS Afeganistão está a todo vapor, correndo contra o tempo para construir a chamada “cidade de refúgio”, na base missionária em Curitiba, no Paraná. 

“Deus está dando graça para nós respondermos a esta crise [no Afeganistão]. Estamos correndo contra o tempo. As paredes [das casas] já estão subindo, semana que vem, se Deus quiser, já vamos subir a cobertura”, disse Luiz Renato, com a obra ao fundo, numa live em seu Instagram. 

E explicou: “É um processo grande. Desde a retirada dos cristãos do Afeganistão até eles chegarem aqui na base estamos estimando [gastar] 3500 dólares por pessoa. Tudo envolve muito dinheiro, mas graças a Deus muita gente tem se mobilizado. Eu estou muito feliz!”.

Inicialmente, a missão vai acolher cerca de 90 cristãos afegãos durante 3 meses, oferecendo uma preparação para eles se inserirem no Brasil. A MAIS vai auxiliar na emissão de documentos e promover aulas de português, atendimento médico e psicológico. 

De acordo com o pastor Luiz, o número de refugiados acolhidos pode duplicar ou triplicar, por isso, a missão já está preparando sua estrutura e arrecadando recursos para manter os irmãos afegãos.

“Estamos acelerando a obra. Nós não pensamos apenas nas casas, mas também no refeitório, na energia elétrica, na água. Então, vamos furar um poço, que é custoso, mas é um desafio”, disse o diretor.

Após os três primeiros meses de acolhimento na cidade refúgio, o Projeto SOS vai para sua segunda fase, onde igrejas parceiras ajudaram no recomeço das famílias afegãs, buscando emprego e vagas em escolas para as crianças. 

As doações para o SOS Afeganistão podem ser feitas pelo site http://www.maisnomundo.org.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S7P0lP

Categorias
Sem categoria

Famílias evangélicas no México perdem acesso a água por se recusarem a negar sua fé

Duas famílias evangélicas no México foram ameaçadas de perder o acesso a água e a serviços essenciais e serem expulsas da comunidade, caso não deixem sua fé e não paguem uma multa, ilegalmente cobrada.

De acordo com a Christian Solidarity Worldwide (CSW), uma organização que trabalha pela liberdade religiosa, as famílias de Nemesio Cruz Hernández e Eligio Santiago Hernández, membros da Primeira Igreja Batista, na cidade de Huejutla de los Reyes, no estado de Hidalgo, foram ameaçadas durante uma reunião comunitária, na segunda-feira (6). Na reunião, as famílias foram proibidas até mesmo de falar.

No dia 3 de agosto, os líderes comunitários Jose Marcos Martínez e Julio Alvarado Hernández também ameaçaram o cristão Bartolo Martínez Hernández, por realizar cultos em sua casa. Os líderes multaram Bartolo e o ordenaram a interromper os encontros domésticos.

As duas famílias ameaçadas já tiveram os serviços essenciais (água, esgoto, programas de benefícios do governo e a usina comunitária) bloqueados durante um ano pelos líderes comunitários, quando elas se recusaram a assinar um acordo ilegal em 15 de janeiro de 2020, no qual moradores evangélicos renunciavam sua fé e o direito de realizar serviços religiosos.

Oito famílias foram obrigadas a assinar o acordo, que previa uma multa de 3 mil dólares para quem violasse a determinação extrajudicial. Como as famílias Cruz e Hernández não assinaram o documento, foram multadas. Segundo a CSW, o governo estadual pagou parte da multa, porém, as famílias evangélicas continuaram a ser ameaçadas em 2020 e neste ano. 

Cristãos perseguidos no México

No México, o uso de acordos extrajudiciais é comum para perseguir cristãos evangélicos e violar seus direitos humanos e religiosos. 

“O governo, tanto em nível estadual quanto federal, deve abordar a cultura de impunidade que tem permitido que violações como essas fiquem sem controle por muito tempo, garantindo que famílias como as de Cruz Hernández e Santiago Hernández sejam livres para praticar qualquer religião ou crença, sem ser forçado a pagar multas ilegais ou enfrentar pressão para renunciar às suas crenças sob a ameaça de ações criminosas, como o corte de serviços básicos e deslocamento forçado”, afirmou a chefe de defesa da CSW, Anna-Lee Stangl.

Segundo a Portas Abertas dos EUA, o caso das duas famílias não é um caso isolado. A perseguição contra cristãos aumentou no México, devido à violência do cartel de drogas, perseguição por católicos tradicionalistas e discriminação violenta por grupos de esquerda anticristãos. 

Na Lista de 2020 dos países mais perseguidos da Missão Portas Abertas, o México ficou na 37ª posição.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S7Kt8X

Categorias
Sem categoria

Governo de SP multa Bolsonaro, Malafaia, Feliciano e outros por não usarem máscaras na Paulista

O Governo de São Paulo, através da Vigilância Sanitária, multou o presidente Jair Bolsonaro e os pastores Silas Malafaia, Magno Malta e Marco Feliciano (deputado, Republicanos-SP) por não terem usado máscaras nas manifestações da terça-feira, 7 de setembro.

Eles foram autuados por contrariarem lei que determina o uso de máscaras para evitar a disseminação da Covid-19 durante a pandemia no Brasil.

A multa pode chegar a R$ 1,5 milhão e esta é a sétima autuação de Bolsonaro por descumprir medidas sanitárias de contenção da pandemia em São Paulo.

Também foram multados Tarcísio de Freitas (ministro da Infraestrutura), Mário Frias (secretário especial da Cultura), André Porciuncula (subsecretário de Fomento e Incentivo à Cultura), Carla Zambelli (deputada, PSL-SP), General Girão (deputado, PSL-RN), Marcio Labre (deputado, PSL-RJ), Danilo Balas (deputado estadual, PSL-SP) e Suéllen Rosim (prefeita de Bauru, Patriota). Também foram autuados o empresário Luciano Hang e o cantor Netinho.

De acordo com o governo Doria, Bolsonaro e os pastores infringiram a lei federal nº 14.019 de 2020, que torna obrigatória a utilização de máscaras em eventos públicos, e a lei estadual nº 6.437 de 1977.

Fonte: Folha de São Paulo
http://dlvr.it/S7G7TN

Categorias
Sem categoria

Suprema Corte do México descriminaliza aborto, embora maioria da população seja contra

A Suprema Corte do México decidiu, em votação unânime na terça-feira (7), que criminalizar o aborto é inconstitucional, o que pode servir como precedente legal para juízes do país.

A decisão foi tomada em torno de um caso que questiona a criminalização do aborto no estado de Coahuila, onde a interrupção voluntária da gravidez podia resultar em até três anos de prisão.

Embora os defensores pró-aborto tenham encarado a decisão como uma “vitória”, o presidente da Frente Nacional pela Família (FNF), Rodrigo Iván Cortés, explica que o aborto não passa a ser descriminalizado em todo o México com a decisão.

Em entrevista à ACI Prensa, Cortés afirma que esta não é uma decisão de âmbito nacional, afetando apenas os casos de aborto no estado de Coahuila. “O crime de aborto é mantido em toda a República”, frisou.

Com a decisão, a Corte mexicana declarou nulos o artigo 196 e partes dos artigos 198, 199 e artigo 224, inciso II. Os textos invalidados se referem à pena de prisão para mulheres que abortam voluntariamente, bem como restrições para os profissionais de saúde que as auxiliam.

Para Cortés, aqueles que afirmam que o aborto foi descriminalizado em todo o México “não estão dizendo a verdade”.

Aborto é rejeitado pela maioria

A legalização do aborto ainda é rejeitada no México, um país de maioria católica e conservadora. Uma pesquisa realizada pela Data Room by Strategos, divulgada em 5 de setembro, revelou que 57% dos mexicanos são contra o aborto, enquanto apenas 29% são a favor.

A pesquisa também revela que 90% dos mexicanos consideram que “a vida é um direito”, enquanto apenas 29% acreditam que o aborto é um direito.

Por meio da plataforma CitizenGO, mais de 50.000 pessoas assinaram uma campanha exigindo que os ministros da Suprema Corte não aprovassem o aborto no México. Cerca de 30.000 pessoas assinaram uma campanha semelhante na plataforma Activate.

A rejeição ao aborto liderou as tendências nas redes sociais no México em 6 de setembro, um dia antes da decisão da Suprema Corte.

“Não queremos que isso passe despercebido, não queremos que esta decisão fique nas mãos de poucos”, disse Alison González, diretora nacional de Pasos por la Vida, ao ACI Prensa.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S7BPKS

Categorias
Sem categoria

‘Só agradeço a Deus’, diz nigeriana ao superar desafios para se tornar pilota de avião

Miracle Izuchukwu, nasceu na Nigéria, e tinha o sonho de se tornar pilota comercial, porém, ela tinha um longo e difícil caminho, principalmente numa profissão dominada pelo universo masculino.

Mulher e negra, a jovem, que sempre demonstrou sua fé em Jesus, se candidatou ao curso de formação para correr em direção ao seu sonho.

“Quem quer que esteja orando por mim, não pare, está funcionando”, escreveu ela nas redes sociais enquanto se preparava. “Entrei para o grupo de elite de 7% das mulheres e 1% das mulheres negras no mundo. É emocionante, mas surreal, me apresentar ao mundo como pilota”.

Miracle, que tem agora 23 anos, conta que não foi encorajada por seu pai a sonhar grande. Quando ela falou com ele sobre voar alto, ele respondeu friamente: “Se eu entrar em um avião e vir uma mulher como pilota, eu saio do avião”.

Essa falta de incentivo a fez aconselhar as meninas, que sonham como ela, a não limitarem seus sonhos.

“E se, ao criar os filhos, focarmos na capacidade em vez de no gênero?”, ela disse. “Em um mundo que quer que sussurremos, eu escolho gritar.”

Voo de descoberta

Miracle começou como representante de atendimento ao cliente no setor de aviação civil. Em 2019, um piloto a incentivou a buscar sonhos maiores. Ela teve a chance de participar de um “voo de descoberta” e sentiu que era o que faria.

Atualmente ela é comissária de bordo da American Airlines, piloto particular e candidata a piloto comercial.

“Eu sou uma mulher forte! Tudo o que me atingiu na vida, eu lidei sozinha. Eu cresci com as coisas destinadas a me destruir. Fico mais forte a cada dia e tenho que agradecer a Deus por isso”, escreveu a nigeriana, que costuma mostrar Jesus em seu Instagram.

“Deus tem um jeito de escolher ‘ninguém’ e torná-lo ‘alguém’ sem consultar ‘ninguém’. Espero que você continue acreditando”, incentiva.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/S76mGc