Categorias
Sem categoria

Cristãos de Hong Kong se preparam para enfrentar perseguição religiosa vinda da China

O pastor americano Butch Tanner diz que Hong Kong mudou dramaticamente nos poucos anos em que está atuando no território autônomo, localizado no sudeste da China.

“Hong Kong, como seus habitantes a veem, é um lugar totalmente diferente do que era há dois anos”, disse Tanner à CBN News durante uma entrevista.

Tanner mudou-se do Texas para Hong Kong em 2017 para liderar a Igreja Batista Internacional de Kowloon.

Então, em junho de 2019, protestos antigovernamentais eclodiram devido a uma polêmica lei de extradição, mergulhando a cidade em meses de caos e derramamento de sangue.

Em meio a esse caos, a igreja de Tanner se tornou um lugar de cura.

“Tínhamos, na verdade, policiais e manifestantes que se reuniam em nosso prédio, oravam juntos e cantavam juntos”, disse Tanner.

Os protestos já cessaram, mas o medo agora paira sobre o futuro da cidade, à medida que o controle da China sobre Hong Kong aumenta, seis meses após a imposição de uma nova lei de segurança nacional.

“Nós temos muito medo em Hong Kong, entre as pessoas, há muito medo de que as coisas não se acalmem ou que não fiquem perto do normal que costumavam ser”, observou Tanner.

E esse temor está se tornando realidade. No dia 6 de janeiro, mais de 1.000 policiais de Hong Kong invadiram 73 locais diferentes na cidade, prendendo 53 políticos, líderes pró-democracia, ativistas de direitos humanos e outros.

Lam Cheuk-ting foi um dos legisladores presos. Ele registrou o momento em que a polícia invadiu sua casa.

“Você é suspeito de violar a lei de segurança nacional, subvertendo o poder do Estado”, disse um policial de Hong Kong a Lam, enquanto ele passava pela porta.

Destruição da democracia

Chris Patten, o último governador de Hong Kong, diz que o que está acontecendo na cidade nada mais é do que a “destruição brutal de uma sociedade livre” pela China.

“Esta é mais uma virada em Hong Kong. Uma nova tentativa de destruir as liberdades de uma cidade que prosperou sob o império da lei”, disse Patten durante uma entrevista.

Também preso, John Clancey, um padre americano que se tornou advogado, agora está sendo julgado por desafiar o governo autoritário da China sobre a cidade.

“Minha abordagem tem sido que você vive de acordo com sua consciência, você vive de acordo com seus princípios, você vive de acordo com as pessoas com quem trabalha e segue em frente”, disse Clancey, que é o primeiro americano e estrangeiro acusado pela nova Nova lei de segurança nacional de Hong Kong.

“Mesmo nos dias mais sombrios, acho que é muito importante manter a esperança”, acrescentou Clancey logo após ser libertado sob fiança.

As autoridades também cercaram cristãos, incluindo Joshua Wong, um ativista proeminente, visto em uma foto entrando na prisão no início de dezembro.

No final daquele mês, duas freiras católicas também foram presas.

“Se eles pensam que podem destruir a ideia de liberdade e democracia para sempre, estão se enganando”, disse Patten. “A verdade é que eles estão absolutamente apavorados com o que a democracia liberal representa”.

Relatórios estimam que mais de 300 mil habitantes de Hong Kong planejam fugir da cidade nos próximos meses.

Lap Yan Kung, que leciona na Universidade Chinesa de Hong Kong, disse à CBN News que vários pastores já partiram, enquanto outros estão atuando na clandestinidade.

“O governo, assim como a polícia, usa todos os meios para aplicar esta lei com a finalidade de perseguir os pastores e também o povo”, disse Kung.

Pequim defendeu as prisões em massa, apesar dos apelos feitos pelo ex-secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, para a libertação dessas pessoas.

“Ninguém tem privilégios fora da lei”, argumentou Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China. “A lei deve ser seguida e qualquer pessoa que a viole deve ser responsabilizada”.

Mudanças

Antes uma cidade independente, Hong Kong agora está testemunhando uma transformação dramática em todos os níveis.

O presidente da China, Xi Jinping, tomou medidas nos últimos meses para remodelar as escolas, a mídia, o legislativo e os tribunais com mais mudanças a caminho.

“A liderança nas escolas está mudando. Escolas que nunca tiveram qualquer conexão com o comunismo antes, agora estão recebendo líderes comunistas e substituindo cargos”, disse Tanner ao CBN News. “Os livros didáticos estão sendo alterados, o que pode ser ensinado também está sendo alterado”.

Os cristãos temem que Hong Kong esteja se tornando como qualquer outra cidade da China continental e que as regulamentações religiosas combinadas com a nova lei de segurança, logo se apliquem a eles, tornando quase impossível a prática de qualquer tipo de fé no território.

“Uma espécie de autocensura está surgindo entre as pessoas em Hong Kong e muitos de nós estamos muito cautelosos sobre o que podemos dizer”, disse Kung.

Os cristãos chineses atualmente experimentam algumas das mais duras perseguições do governo já testemunhadas.

Atualmente, o país ocupa a 17ª posição na Lista Mundial de Perseguição da Portas Abertas 2021 sobre os 50 piores países perseguidores de cristãos, com um cenário caracterizado pela opressão comunista e pós-comunista.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RrBwlF

Categorias
Sem categoria

Homens-bomba provocam explosões deixando 32 mortos e mais de 100 feridos em Bagdá

As explosões de dois homens-bomba sacudiram um movimentado mercado no centro de Bagdá (Iraque) na manhã da quinta-feira (21), matando pelo menos 32 pessoas e ferindo outras 110, segundo autoridades e a mídia estatal.

As forças de segurança dizem que perseguiram os dois terroristas antes que eles provocassem as explosões. Este foi o primeiro ataque suicida a atingir Bagdá em quase dois anos.

Segundo relatos das autoridades e da mídia estatal, o primeiro terrorista entrou no mercado e, fingindo estar doente, pediu ajuda, fazendo com que as pessoas se reunissem ao seu redor para depois provocar a explosão. O segundo homem-bomba foi até o local em uma motocicleta antes de detonar seu colete explosivo.

Até o momento, nenhum grupo terrorista assumiu a responsabilidade pelo ataque, embora a ação tenha as marcas de grupos jihadistas sunitas, que já realizaram inúmeros ataques semelhantes no Iraque. Os bombardeios duplos eram comuns no país durante o auge da guerra sectária entre 2005 e 2007.

“Os atentados terroristas simultâneos contra os cidadãos seguros de Bagdá neste momento confirmam as tentativas e esforços de grupos obscuros para atingir as necessidades e aspirações nacionais do povo iraquiano por um futuro pacífico”, disse o presidente iraquiano Barham Salih em um tweet.

“Estamos firmemente contra essas tentativas desonestas de desestabilizar nosso país”, acrescentou.

Um comunicado da embaixada dos Estados Unidos em Bagdá qualificou o ataque como “um ato repreensível de covardia que ressalta os perigos do terrorismo que milhões de iraquianos continuam enfrentando”.

“Estendemos nossas condolências às famílias dessas vítimas e esperamos a rápida recuperação dos feridos”, disse o comunicado da embaixada dos Estados Unidos na página do Facebook de Bagdá.

A Missão de Assistência das Nações Unidas para o Iraque (UNAMI) também condenou o atentado.

“Um ato tão desprezível não vai enfraquecer a marcha do Iraque em direção à estabilidade e prosperidade”, disse a UNAMI em um comunicado em sua página no Facebook. “Nossas sinceras condolências às famílias dos falecidos e desejamos aos feridos uma rápida recuperação”.

O primeiro-ministro iraquiano, Mustafa al-Kadhimi, teve uma reunião de emergência com altos oficiais de segurança na sede do Comando de Operações de Bagdá. Kadhimi, que é apoiado pelos EUA, também é o comandante-chefe das forças armadas iraquianas.

Apesar de ter visto uma redução na violência nos últimos anos, o Iraque continua a hospedar vários grupos insurgentes e terroristas.

Os grupos do Iraque apoiados pelo Irã foram acusados ​​de montar ataques regularmente contra locais estratégicos, como a embaixada dos EUA, no ano passado, levando a tensões crescentes em um país que luta contra um surto de coronavírus e uma turbulência econômica.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/Rr7Zb6

Categorias
Sem categoria

Homem com deficiência toca piano em adoração a Deus: “Ele é digno”

Bart Gee nasceu com uma deficiência chamada artrogripose. Ele tem músculos fracos e articulações rígidas. Gee conta que os médicos disseram que ele “nunca andaria e nem sabiam se eu teria forças para sentar”.

Tocar piano era impossível para ele porque ninguém sabia se Gee teria forças para pressionar uma tecla. Mas apesar do que os médicos disseram à sua família, eles acreditaram em Deus por um milagre.

Então, aos cinco anos, Bart quebrou os limites. Ele começou a tocar piano e gradualmente foi capaz de fazer mais e mais.

Gee conseguiu se tornar um pianista talentoso, apesar de sua condição física. Além disso, ele pode praticar esportes como tênis de mesa, bilhar, natação e completou três triatlos. Ele também consegue dirigir um carro.

Em um vídeo compartilhado por Gee em dezembro, ele faz um cover para piano de “Is He Worthy” (Ele é digno), de Chris Tomlin. Não é a primeira vez, porque ele grava muitas versões de adoração em seu canal do YouTube.

Quebrando Limites

O pianista com deficiência está tocando vidas não apenas com sua música, mas compartilhando regularmente sua história com o mundo. Ele participa de palestras cristãs, compartilhando como Deus transformou sua deficiência em uma possibilidade.

Em sua capa de ‘Is He Worthy’, muitos foram abençoados e encorajados. Um usuário atestou como a música de Bart o encorajou em meio a esses tempos difíceis.

“Bart, nos momentos de loucura em que vivemos, sua música ajuda a acalmar a mente, o corpo e a alma. Obrigado”, escreveu Todd Turbett.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/Rr3l0B

Categorias
Sem categoria

Forte explosão atinge prédio no centro de Madri com pelo menos 2 mortos

Pelo menos duas pessoas morreram e vários ficaram feridas em uma explosão nesta quarta-feira (20) no centro da capital espanhola, Madri, segundo o prefeito da cidade.

A explosão, que ocorreu em um prédio na rua Toledo, causou danos generalizados, de acordo com imagens de vídeo postadas pelo serviço de informações de emergência da prefeitura da capital espanhola, Emergencias Madrid.

Pelo menos quatro andares foram impactados pela explosão e os bombeiros estão retirando as pessoas do prédio, disse o serviço.

“Várias pessoas estão sendo tratadas (por ferimentos) de vários ferimentos”, disse o prefeito de Madri, José Luis Martínez Almeida, a jornalistas. Um foi enviado para o hospital, acrescentou.

Martínez-Almeida pediu cautela, pois as autoridades ainda estão obtendo mais detalhes após a explosão. “Parece que houve uma explosão de gás”, disse ele.

Policiais estão no local, disse um porta-voz da Polícia Nacional Espanhola à CNN.

Ninguém ficou ferido em uma residência para idosos nas proximidades e todos os residentes foram evacuados, disse o prefeito. O diretor da residência Los Nogales, Antonio Berlanga, confirmou esse relato.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RqzkjD

Categorias
Sem categoria

Israel fornecerá vacinas da Covid-19 para sobreviventes do Holocausto em todo o mundo

Israel irá fornecer vacinas contra o coronavírus para os sobreviventes do Holocausto, tanto em Israel quanto em comunidades judaicas ao redor do mundo, anunciou o Ministério de Assuntos da Diáspora.

A complicada operação logística internacional está apenas em seus estágios iniciais. A ministra de Assuntos da Diáspora, Omer Yankelevich, encarregou a organização Shalom Corps de coordenar os procedimentos burocráticos.

A organização procurou várias empresas de transporte médico para planejar a logística do projeto, e o Ministério de Assuntos da Diáspora está trabalhando com o Ministério da Saúde em coordenação com a Pfizer e Moderna.

A campanha será conduzida através de centros de vacinação em vários países diferentes. Os sobreviventes que não puderem sair de casa receberão equipes médicas e voluntários.

O Ministério pretende recrutar filantropos judeus para ajudar a financiar a operação e pretende solicitar vacinas adicionais para os sobreviventes, sem tirar da cota alocada para o Estado de Israel.

“Durante esta crise global, temos a oportunidade de apoiar os sobreviventes do Holocausto, cuja resiliência continua guiando e inspirando a humanidade hoje”, disse Yankelevitch. “É nossa obrigação coletiva proteger essa população valiosa, mas vulnerável, no espírito de responsabilidade mútua”. 

“Agora é a hora de todos nós, instituições judaicas e líderes de todo o mundo, nos unirmos nesta operação. Juntos nós podemos garantir que os sobreviventes do Holocausto sejam vacinados com eficiência, onde quer que vivam”, acrescentou a ministra.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RqvtS9

Categorias
Sem categoria

Israel planeja ataque contra plano nuclear do Irã, enquanto Biden indica retomar acordo

As Forças de Defesa de Israel estão traçando planos para um ataque ao programa nuclear do Irã, conforme noticiou o jornal Israel Hayom na quinta-feira (14) em um artigo de primeira página.

O jornal disse que o chefe de gabinete das Forças de Defesa de Israel, Aviv Kohavi, pediu três propostas alternativas para inviabilizar o programa de Teerã. Sem entrar em detalhes, ele indicou apenas que uma das propostas é um ataque militar, observando que tal plano exigiria um aumento orçamentário significativo para os militares israelenses.

O Irã retomou o enriquecimento de urânio para 20% na semana passada, bem acima do limite estabelecido em seu acordo nuclear de 2015 com potências mundiais e um curto salto técnico do nível de enriquecimento de 90% necessário para produzir armas.

A notícia dada pelo Israel Hayom veio um dia depois que o ministro do Likud, Tzachi Hanegbi, considerado um aliado do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, ameaçou que Israel poderia atacar o programa nuclear do Irã se os Estados Unidos voltassem ao acordo nuclear, como o presidente eleito dos EUA, Joe Biden, indicou que planeja fazer.

“É claro que não permitiremos. Já fizemos duas vezes o que precisava ser feito, em 1981 contra o programa nuclear do Iraque e em 2007 contra o programa nuclear da Síria”, disse ele, referindo-se aos ataques aéreos aos reatores nucleares desses dois países.

Contextualização

O ex-presidente dos EUA, Barack Obama, com o novo presidente eleito Joe Biden como seu vice-presidente, assinou o acordo nuclear iraniano com potências mundiais em 2015. O governo Trump retirou-se do acordo em 2018 e pressionou o Irã com sanções econômicas paralisantes e outras medidas.

Obama assinou o acordo apesar dos protestos ferozes de Israel, e tinha um relacionamento difícil com Jerusalém e Netanyahu, enquanto o primeiro-ministro e Trump estavam em pé de igualdade na maioria das questões políticas do Oriente Médio.

Biden deve adotar uma abordagem mais conciliatória com o Irã e disse que, caso a nação árabe retorne aos termos do acordo nuclear, ele também se reunirá, removendo as sanções econômicas que devastaram a economia iraniana nos últimos dois anos.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, indicou que deseja negociar de forma mais ampla com Teerã se Washington voltar ao acordo, principalmente sobre seus mísseis e sua influência no Oriente Médio. O Irã disse que poderia saudar o retorno dos americanos ao acordo, mas somente depois de suspender as sanções. Ele rejeitou a negociação sobre outras questões.

O Irã e o governo Trump têm se envolvido em uma troca contínua nos últimos meses, enquanto o governo Trump chega ao fim e o Irã marcou o aniversário de um ano do assassinato de seu general Qassem Soleimani pelos EUA.

As idas e vindas incluíram ameaças, manobras militares, ações legais e crescentes violações iranianas do acordo nuclear.

Para complicar ainda mais os planos do governo Biden de se engajar novamente em Teerã, houve dois assassinatos de alto perfil neste ano no Irã, atribuídos a Israel. O principal cientista nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh foi morto a tiros fora de Teerã em novembro em um ataque que autoridades iranianas atribuíram a Israel. Em agosto, agentes israelenses mataram o segundo em comando da Al-Qaeda em Teerã a mando dos EUA, de acordo com uma reportagem do New York Times.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/Rqr5N1

Categorias
Sem categoria

Muçulmanos desiludidos com sua religião são alcançados pelo Evangelho na internet

O Oriente continua lutando contra a Covid-19 e seu impacto nas economias, mesmo com o início das implementações de vacinação. Mas apesar (e talvez até graças) à pandemia, o Espírito Santo está se movendo.

Cry Out Now Ministries serve para construir o Reino de Deus no Líbano, Jordânia, Síria e Iraque. Devido a bloqueios, toques de recolher e restrições de contato, não era mais possível continuar o evangelismo de rua ou a distribuição das Escrituras de porta em porta.

“Hoje, com a mídia social, pode haver campanhas com milhares de pessoas conectadas com uma mensagem na qual elas podem clicar se houver um interesse espiritual e até começar a fazer um estudo bíblico online”, dizem.

“Ouvimos falar de pessoas que chegam à fé apenas respondendo a uma mensagem ou anúncio que recebem no Facebook ou alguma mensagem enviada pelo WhatsApp”, relatam.

Um exemplo, é o de um muçulmano na Jordânia estava desiludido com o Islã. Mas ele não sabia mais para onde se virar. Então a Cry Out contatou esse homem nas redes sociais e ele ficou intrigado o suficiente para responder.

“Esse cara passou por todo o caminho desde apenas debater e comparar o Alcorão com as Escrituras até o ponto em que ele reconhece que não quer mais falar sobre o Alcorão porque ele realmente acredita que encontrou a verdade”, diz Peter.

A missão pede oração pelo jordaniano, para que ele dê o próximo passo para começar um relacionamento com Jesus Cristo.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RqmjvM

Categorias
Sem categoria

Cristãos enfrentam até 40 graus negativos para levar o Evangelho ao Extremo Oriente Russo

As péssimas condições meteorológicas não espantam os cristãos dispostos a evangelizar as populações do Extremo Oriente russo. A MNN (Mission Network News) relatou que muitos crentes na Rússia e outros países eslavos usam ocasiões especiais como oportunidade para evangelismo.

Segundo a MNN, o esforço de vários parceiros da Associação do Evangelho Eslavo (Slavic Gospel Association) tem alcançado as pessoas naquela região com a notícia de Jesus.

“Recebemos um alerta de oração para uma equipe que estava indo para um orfanato. O carro deles escorregou para fora da estrada e ficou preso. E estava 40 graus abaixo de zero lá fora. Alguns crentes locais tiveram que vir e trazê-los para suas casas”, relatou o Pr. Eric Mock, da Slavic Gospel Association.

Mas o frio extremo não é o único obstáculo nessas regiões. Mock diz que muitos habitantes vivem em áreas muito remotas.

“O Extremo Oriente da Rússia, em termos de massa de terra, é aproximadamente do tamanho dos Estados Unidos, com apenas 5% da população. Portanto, existem essas vastas áreas geográficas, e ao norte está uma massa de terra do tamanho da Índia, que é conhecida como Yakutia”, explica Mock.

Os trabalhos missionários com ensinamentos e treinamentos são destinados ao povo étnico, o povo Sakha. “Existem cinco ou seis grupos diferentes deles”, diz Mock.

Religiões pagãs

Nessas áreas congeladas e remotas da Rússia, muitas pessoas ainda têm práticas religiosas pagãs muito antigas. “É essa ideia de adorar as árvores e os peixes e a água e as estrelas. Frequentemente, a matriarca da aldeia é o xamã-chefe e eles terão um necromante. Eles chamarão os mortos, e os demônios para obter conselho para orientação nessas aldeias. E agora você tem o Evangelho passando por Cristo sobre Covid”, relata Mock.

O programa Christ over Covid, da SGA, permite ajuda às igrejas locais para obter alimentos e outros itens necessários para as pessoas necessitadas durante a pandemia.

Segundo a SGA, essas aldeias também sofrem com a falta de educação. Felizmente, com o avanço da tecnologia digital, esta parte do país ficou mais conectada a outras áreas.

 “Putin, pelo que entendi, operou linhas de fibra ótica até o Extremo Oriente da Rússia, portanto, a capacidade está crescendo para alcançá-los. Mas muitos desses povos vivem em comunidades tribais muito unidas e alguns são mal educados. A taxa de suicídio e a taxa de alcoolismo são muito altas”, diz Mock.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RqkDdL

Categorias
Sem categoria

Professor se cura da Covid com ajuda de médico a quem deu bolsa de estudos: “Anjo de Deus”

Um professor de química se curou da Covid-19 após ser tratado por um médico a quem deu uma bolsa de estudos quando ele ainda era estudante, em Goiânia. O profissional de saúde, Wallace Pinheiro, diz que salvar a vida do antigo professor foi uma forma de agradecê-lo pela oportunidade dada e também cumprir uma promessa: salvar vidas.

Wallace nasceu em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. Morando na periferia e filho de um policial militar e de uma empregada doméstica, ele sabia que seria difícil passar em uma faculdade pública. Em 2010, começou a procurar colégios da capital pedindo ajuda para realizar o sonho de se tornar médico.

Ele recebeu muitas respostas negativas, mas encontrou apoio no cursinho em que o professor Marcos Araújo era dono na época. “Ele falou assim: ‘Meu grande sonho é ser médico, mas está difícil, porque eu venho de escola pública, eu tenho pouca base, mas eu tenho muita força de vontade’”.

“Aí eu perguntei: ‘Wallace, para que você quer ser médico?’’. E ele respondeu uma coisa que eu me arrepio até hoje: ‘Para salvar vidas’.”, contou Marcos.

Após longa rotina de estudos, acordando às 4h40 para pegar ônibus em Trindade e conseguir estar às 7h10 no cursinho, em Goiânia, Wallace foi aprovado em 2012 em seis vestibulares. Wallace e Marcos se encontraram pela última vez há três anos, na formatura do aluno.

Reencontro

O destino, no entanto, promoveu o reencontrou dos dois, mas em uma situação mais delicada. Marcos testou positivo para a Covid-19 em agosto. Nos dez primeiros dias, ele teve pequenos sintomas, mas depois começou a ter muita dificuldade para respirar. Foram 20 dias internado no Hospital de Campanha de Goiânia, com comprometimento de 80% dos pulmões.

E, numa coincidência da vida, ele passou a ser cuidado pelo ex-aluno.

“No início, eu não acreditei que fosse o Wallace, eu acreditei que fosse um anjo. Um anjo na forma do Wallace. Como se Deus tivesse me mandado um anjo, e o anjo fosse aquele menino que eu tanto confiava”, disse.

O médico também se surpreendeu ao ver o antigo professor naquela situação: “Na hora eu nem pensei que poderia ser ele. A gente nunca pensa que o pior está acontecendo com alguém que a gente gosta”.

“Eu parei e falei: ‘Deus, me ajuda. Me ajuda a salvar a vida do Marcos’. Era a grande chance que eu tinha de retribuir o que ele me deu”, contou o médico.

A presença de Wallace ajudou a tranquilizar o paciente durante a internação. “Ele conversou comigo e disse: ‘Você se lembra que falou que eu, como médico, iria salvar muitas vidas? Então, eu vim salvar a sua’. Aquilo, naquele momento, me encheu de esperança e eu pensei que ia vencer, não ia entregar os pontos”, relata o professor.

Marcos recebeu alta em outubro e já está em casa, recuperado e sem sequelas. “A lei do retorno vem mesmo. Eu jamais imaginaria que aquele menino, aquele garotinho, um dia pudesse ser responsável pela minha vida. A minha vida esteve na mão dele e, graças a Deus no céu e o Wallace aqui na terra, eles conseguiram manter a minha vida”, completou.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/Rqfmfc

Categorias
Sem categoria

Filho de feiticeiro se entrega a Jesus após ser impactado pela Bíblia: “Eu quero esse Deus”

Kumar Swamy cresceu em uma família hindu. Seu pai era um feiticeiro, praticava magia negra e se comunicava com espíritos malignos. Além disso, sua família era de uma casta inferior na Índia – Dalit – o que os levava a ser considerados “menos que seres humanos” por membros de outras castas.

“Minha mãe nos dizia constantemente que nós éramos ‘intocáveis’. Muitas vezes ela usava o termo ‘subumano’, não realmente seres humanos. Você pode imaginar como eu me sentia, quando criança, sempre ouvindo dos meus pais, da minha própria mãe que nós não éramos realmente seres humanos?”, questionou Kumar.

Ele explicou que não julga a atitude que sua mãe tinha no passado em ensiná-lo dessa forma, porque ela também ouviu as mesmas coisas da mãe dela quando era criança.

“Ela foi ensinada assim e isso é passado de geração em geração”, destacou.

Kumar lembrou que a feitiçaria praticada por seu pai rendia dinheiro para o sustento da família, mas também os aprisionava espiritualmente.

“Minha família estava sob as garras dos maus espíritos”, contou. “A minha infância foi de uma realidade sombria e de severa opressão”.

A expulsão da vila

Aos 11 anos, ele se envolveu em uma briga com outro garoto de uma casta superior em sua escola. Enquanto jogava críquete. Ele costumava jogar com outros dalits, mas algumas vezes, garotos de castas superiores também participavam do jogo.

Após esbarrar acidentalmente em um garoto de casta superior, este reagiu com repulsa, discriminando Kumar e dizendo-lhe que ele “não é um ser humano de verdade”.

“Seu cachorro dalit sujo”, gritou o garoto para ofender Kumar.

O garoto dalit ficou com muita raiva, jogando sua raquete contra o garoto e deixando-o ferido.

A briga entre os meninos gerou comoção na aldeia onde Kumar morava. Os pais do menino ferido consideraram Kumar culpado e puniram toda a família dele, dando um ultimato de 24 horas para deixar a aldeia.

Eles não tiveram escolha a não ser partir e seu pai acabou perdendo sua função como feiticeiro na aldeia. Isso deixou uma dor e uma ferida muito profundas no coração de Kumar.

O garoto então começou a questionar a Deus por que Ele o criou em uma casta inferior da humanidade. Isso o deixou em um estado deprimido e desiludido, buscando esperança e realidade em sua vida. Ele até pensou em cometer suicídio por causa da discriminação que estava enfrentando.

“Eu buscava respostas nos deuses que conhecíamos, mas não conseguia nada”, contou ele.

Um reencontro especial

Certo dia, quando Kumar estava com cerca de 17 anos, seu irmão falou com com ele e compartilhou uma mensagem transformadora sobre o amor de Jesus.

“Aquele foi o dia mais emocionante da minha vida”, contou Kumar. “Eu reencontrei meu irmão mais velho. Ele veio com um grande sorriso no rosto e me disse: ‘Kumar, todo esse sofrimento como Dalit está acabado’. Eu me perguntava como aquilo era possível. Então, ele me contou que aceitou Jesus Cristo como seu salvador”.

Seu irmão compartilhou seu testemunho com Kumar, relatando que certa vez estava andando pela rua, quando viu um grupo de jovens em pé, cantando alegremente. Então, ele parou ali e ouviu o que eles estavam compartilhando. Eles falavam sobre Jesus.

“Ele ficou ali, ouviu o Evangelho e logo após se ajoelhou, entregando sua vida a Jesus”, contou Kumar.

Aqueles jovens deram uma Bíblia a ele e foi essa Escritura que ele levou para apresentar a Kumar, compartilhando com ele a mensagem bíblica de Gênesis 1:27, que diz: “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou”.

Esse único versículo da Bíblia mudou a vida de Kumar. Naquela mesma noite, Kumar recebeu Jesus em seu coração.

“Eu nunca havia ouvido algo tão bom em toda a minha vida. Eu sempre ouvia que era ‘intocável’, que era um subumano, menos que um animal, que era sujo, poluído. Mas esse livro me disse que eu fui criado à imagem de Deus. Então, eu disse ao meu irmão: ‘Eu quero esse Deus’”, contou Kumar.

Hoje, ele é um pastor e compartilha o Evangelho com ousadia, pregando para outras pessoas em toda a Índia.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RqbFd1