Categorias
Sem categoria

Em ação inédita, Palestina decreta mínimo de 7 assentos para cristãos no parlamento

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, assinou um decreto presidencial no domingo garantindo um mínimo de sete assentos parlamentares para palestinos de fé cristã. Os palestinos nos territórios ocupados devem escolher 132 legisladores com base na representação proporcional.

A ex-prefeita de Belém, Vera Baboun, disse ao Arab News que o novo conselho legislativo precisa espelhar a diversidade da sociedade palestina, de modo a incluir uma pluralidade de palestinos, dizendo: “O próximo conselho eleito precisa refletir a mais ampla experiência nacional e representação de toda a nossa sociedade, incluindo mulheres e cristãos palestinos”.

Ramzi Khoury, chefe do Comitê Presidencial Superior para Assuntos das Igrejas, saudou a decisão, dizendo que esta é a primeira vez que a cota é ilimitada.

“O fato de que o decreto exige um mínimo de sete membros é bem-vindo porque dá oportunidades para os palestinos de todas as esferas da vida competirem com a oportunidade de mais indivíduos serem eleitos do que a cota mínima”, disse ele ao Arab News.

O arcebispo ortodoxo de Jerusalém de Sebastia Atallah Hanna disse ao Arab News que os palestinos dão boas-vindas a esta decisão.

“De modo geral, desejamos que o próximo Conselho Legislativo Palestino traga sangue novo e esperamos que eles sejam escolhidos com base em qualificações e habilidades”, declarou.

Berço do cristianismo

Nashat Filmon, diretor da Sociedade Bíblica Palestina, disse que é bom ter uma representação garantida que reflita a presença cristã palestina no berço do cristianismo.

“Gostaria que os representantes do Conselho Legislativo Palestino se concentrassem nas pedras vivas, os cristãos da Palestina, e não apenas nas pedras físicas que representam a história do Cristianismo na Palestina”, disse ele ao Arab News.

Ibrahim Daebes, ex-diretor de uma escola cristã e colunista líder do jornal Al Quds, disse ao Arab News que é imperativo que os novos representantes ajam para conter o discurso de ódio.

“Os cristãos palestinos estão enfrentando perseguição pessoal e religiosa de todos os cantos e é importante para o conselho recém-eleito redigir uma legislação que possa acabar com os elementos radicais de nossa sociedade que vomitam discurso de ódio e preconceito religioso contra outros palestinos”, disse ele.

Bernard Sabella, ex-membro do Conselho Legislativo Palestino, saudou a decisão do presidente. “Esta é uma excelente decisão porque nossa experiência é que o eleitorado palestino vota com base na geografia, não na nacionalidade”, disse ele.

Sabella acrescentou que a experiência anterior que não foi bem-sucedida “exige que tenhamos uma nova visão e um plano holístico que atenda às nossas necessidades. Precisamos de nossos representantes para representar sua nação e não uma religião.”

Ele acrescentou: “Estamos em uma encruzilhada política e não podemos viver com a mentalidade dos anos 1950, 1960 e 1970. Embora eu respeite as ideologias, precisamos reavivar o apoio internacional à causa palestina e parar a retórica que falha em enfrentar as realidades locais e internacionais. O que precisamos, em vez disso, é buscar melhorar nossa firmeza no terreno e trabalhar por um estado que nos ajude nesse esforço de permanecer firmes em nossa terra.”

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RtKmdf

Categorias
Sem categoria

Sociedade Bíblica vai doar mais de 2 mil Bíblias em braile para cegos

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) promove a campanha #PraCegoLer, desde setembro de 2020, com o objetivo de doar 2 mil bíblias em braile para pessoas cegas no país. A ação também pretende oferecer bíblias acessíveis para 15 instituições de apoio a deficientes visuais e mil livros bíblicos para crianças cegas.

Além disso, a SBB quer proporcionar uma visita para 200 cegos à Gráfica e ao Museu da Bíblia, em 2021, e ofertar 4 mil livros da Bíblia em braile para mil cegos.

Atualmente no Brasil existem mais de 520 mil pessoas que não enxergam e mais de 6 milhões de pessoas que têm grande dificuldade de enxergar, de acordo com o censo demográfico do Brasil de 2010.

Há 20 anos, a Sociedade Bíblica do Brasil tem trabalhado para acolher e levar a Palavra de Deus à pessoa com deficiência, traduzindo, produzindo e distribuindo bíblias e materiais bíblicos em braile para sua edificação. A SBB já distribuiu mais de mil bíblias completas e mais de 200 mil materiais bíblicos em braile.  

Pessoas com deficiência visual podem receber materiais bíblicos gratuitamente através de cadastro no site da SBB.https://sbb.org.br/assistencia-social/biblia-em-braile-gratuita/

Para realizar a doação de 2 mil Bíblias Sagradas em braile para pessoas cegas, a campanha precisa alcançar o valor de 600 mil reais. Até esta segunda (22) a SBB arrecadou 89,9% do valor pretendido. As contribuições para a campanha #PraCegoLer podem ser feitas através do site sbb.org.br/pracegoler.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RtFjxg

Categorias
Sem categoria

Idosa cristã cuida de crianças carentes há 60 anos: “Deus me guiou em todas as coisas”

Veryl foi levada para a igreja quando tinha 2 anos de idade, por sua mãe, para frequentar a escola dominical. “Eu cresci ouvindo sobre Jesus. Quando eu tinha cerca de dez anos, havia um orador na igreja. Ele falou sobre Jesus na cruz e mencionou o centurião que estava sob a cruz. Depois que Jesus morreu, o homem viu o que aconteceu e disse: ‘Certamente, ele era o Filho de Deus!’ (Mateus 27:54). Percebi que o que Jesus fez na cruz foi por mim e por todos os outros”, relata Veryl sobre sua conversão.

Ela diz que essa pregação a fez pensar: “Fui para casa e aceitei Jesus como meu Salvador.

Veryl se formou como enfermeira e, logo em seguida, conta que sentiu o Senhor a chamando para trabalhar entre os índios do Território do Norte. “Havia muita necessidade ali e eles estavam pedindo enfermeiras em Yuendumu. É uma pequena comunidade indígena 290 quilômetros a noroeste de Alice Springs”, conta.

Isso foi em 1956. Veryl trabalhou em Yuendumu por quase dois anos. “Foi muito desafiador. Houve uma epidemia de sarampo no primeiro ano. Estávamos trabalhando em um galpão de lata – era o hospital. Mas o Senhor nos ajudou e não perdemos nenhum dos bebês”, lembra.

Foi nessa ocasião que ela conheceu o homem que seria seu marido. Seu nome era Doug e como encanador chegou para ajudar a construir o novo hospital. “Nós nos casamos no final de 1958 e então nos mudamos de volta para a cidade, para Alice Springs onde começaram a cuidar de crianças carentes.

O chamado com crianças

Estamos cuidando de crianças carentes, aqui em Alice, há 60 anos.

“No início, havia um garotinho, Eddie. Cuidamos dele enquanto seu pai trabalhava… e havia Bobbie. Ele tinha problemas cardíacos, então veio morar conosco”, conta Veryl.

Antes de ter seus próprios filhos, o casal estava cuidando de três irmãzinhas – Jean, Marjorie e Dorothy. “Então tivemos Lyle e Kerrie, nossos próprios filhos, nascidos com 15 meses de diferença”, diz.

Pouco tempo depois, pegaram uma menina que sofria de poliomielite. “Ela não conseguia andar, então nós a crescemos. Em seguida, tivemos nossos dois filhos mais novos, Peter e Grant, mas continuamos tendo filhos, intermitentemente, por 60 anos”, conta sobre sua atividade ministerial com crianças ao lado do marido.

“Eu tenho 91 agora e estou esquecendo coisas! Muitas das crianças lutaram como adultos, mas sempre fizemos parte de suas vidas e nos pediram para ajudar a criar seus filhos e até mesmo seus netos”, diz Veryl, que voltou a trabalhar no hospital em Alice. “Havia muitos bebês lá que precisavam de proteção por curtos períodos … Não consigo lembrar todos os nomes, mas foram mais de 60 filhos no total”.

“Uma das meninas nasceu com um problema de pulmão. Ela quase morreu de hemorragia e precisava de muita ajuda, então a internamos. Ela precisava ser alimentada por um tubo em seu estômago até os 9 ou 10 anos de idade. Ela agora está crescida e tem seu próprio filho. Frequentemente, eles vêm e ficam conosco”, testemunha.

“O último menino que ficamos conosco por três anos. Isso foi há dois anos, quando eu tinha 89 anos. Ele era um dos netos de Dorothy. Ele morou conosco por três anos e eu nunca conseguia um tempo parada”, conta. Veryl diz que às vezes era difícil e que ficava muito ocupada, especialmente durante o dia. “Eu não tinha muito tempo, então lia minha Bíblia no meio da noite. Quando eu tinha meu tempo de silêncio”.

“Durante todo o percurso da minha vida, Deus esteve no controle. Ele me guiou em todas as coisas. Ele dirigiu meus caminhos todos os dias”, diz.

O marido de Veryl, Doug está com 92 agora e ambos estão bem. “É incrível que, à medida que continuo a estudar a palavra de Deus, as canções das Escrituras da minha juventude vêm claramente à mente”, alegra-se.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RtB1l7

Categorias
Sem categoria

Ministro da França pede desculpas por comentários “infelizes” contra os evangélicos

O Presidente e o Diretor Geral do Conselho Nacional dos Evangélicos na França (CNEF), se reuniram com o conselheiro do Ministro do Interior para assuntos religiosos no dia 9 de fevereiro, para discutir as últimas declarações de Gérald Darmanin sobre os evangélicos na França.

O Ministro do Interior havia dito em uma entrevista à emissora de TV C News , que “os evangélicos são um problema muito importante […] obviamente não um problema da mesma natureza que o islamismo que causa ataques terroristas e mortes”.

Após a reunião, o CNEF apontou em um comunicado que “no contexto da análise do projeto de lei para fortalecer o secularismo e os princípios republicanos, comentários inadequados de ministros e representantes eleitos ofenderam muitos protestantes evangélicos na França e em vários países europeus ”.

A entidade evangélica “questionou o Ministério do Interior e, ao mesmo tempo, quisemos resistir a qualquer tentação vitimizadora e a qualquer ultrapassagem dos meios de comunicação”, porque tais ações “não seriam necessariamente conforme ao modelo de Cristo”.

Segundo o CNEF, durante o encontro, o assessor do Ministro do Interior para os assuntos religiosos “ reconheceu que as expressões utilizadas foram infelizes. Podem dizer respeito a casos muito específicos, mas não aos evangélicos em geral”.

Também prometeu que “esta má experiência não voltará a acontecer” e sublinhou que “o discurso de Darmanin durante o 10º aniversário do CNEF permaneceu totalmente relevante”. No outono, o Ministro do Interior aderiu ao evento online do corpo evangélico.

No evento, o Ministro afirmou, entre outras coisas, que “ser crente muitas vezes permite ser um bom cidadão” e agradeceu ao CNEF pela “relação de confiança” que mantêm com o governo.

Projeto de lei para fortalecer o secularismo

O polêmico texto do polêmico projeto de lei anti-separatismo está sendo debatido por parlamentares franceses e será examinado por senadores em março .

“Cientes do que está em jogo em termos de liberdade religiosa, pedimos orações”, disse o CNEF. Eles também organizaram uma videoconferência aberta a todos no dia 11 de fevereiro para analisar o projeto de lei e orar.

“Que o Espírito de Deus, na sua sabedoria e ousadia, nos ajude”, conclui o Conselho Evangélico.

Fonte: Folha Gospel com informações de Evangelical Focus
http://dlvr.it/Rt7SQX

Categorias
Sem categoria

Nigéria: crianças são sequestradas em escola por homens armados

Na quarta-feira (17), um novo sequestro de crianças aconteceu em Kagara, na Nigéria. Homens armados não identificados invadiram a escola pública de Ciência, na madrugada, levando 42 pessoas — 27 alunos, 3 professores e 12 familiares dos professores. 

Cerca de 650 alunos estavam na escola durante a invasão, conforme o porta-voz do governo do Estado. Muhammadu Buhari, o presidente nigeriano, já ordenou que as forças de segurança realizassem uma operação de resgate. Até agora, não se sabe quem são os responsáveis pelo ataque.

As autoridades acreditam que grupos radicais estejam envolvidos no incidente. De acordo com a Portas Abertas, sequestros acontecem no país por falta de segurança e proteção governamentais. 

Vulnerabilidade de cristãos

Quase mil cristãos foram sequestrados por grupos islâmicos só no ano de 2020. As crianças, normalmente, ficam expostas a níveis de perigo extremamente preocupantes. 

Centenas de pais e mães tiveram que lidar com a perda de suas filhas que foram sequestradas, em 2014, pelo grupo Boko Haram. Elas estudavam na escola secundária, no vilarejo de Chibok, na Nigéria.

Mesmo depois de 7 anos, das 275 meninas, a maioria cristã, mais de 100 ainda não foram resgatadas. Essa realidade ainda é assustadora, já que crianças e adolescentes continuam sendo raptados de suas escolas e casas. Muitas meninas são abusadas física e psicologicamente, convertidas ao islamismo de maneira forçada e casadas com muçulmanos bem mais velhos.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/Rt44qQ

Categorias
Sem categoria

Viúva evangeliza assassinos do marido após ouvir a Deus: “Dê testemunho sobre mim”

A viúva de um pregador na Colômbia decidiu ir, no início do mês, ao local onde seu marido foi morto por causa de sua fé. Ela sentiu um impulso da parte de Deus e agiu com compaixão, entregando Bíblias aos assassinos.

Kelly Saenz e Pabel Saenz se apaixonaram enquanto faziam a obra de Deus juntos e se casaram em 2008. Eles se dedicaram a pregar o evangelho na Colômbia, sendo orientados por Russell Stendal, um missionário que havia sido sequestrado, preso e ameaçado durante seus quarenta anos de ministério no país. 

Trabalhando como motorista de moto-táxi, Pabel foi para uma região perigosa da Colômbia em um domingo, 23 de novembro de 2014 — e nunca mais voltou. Depois de três dias procurando por ele, Kelly soube que seu marido estava morto. 

Kelly recebeu a notícia da morte do marido por um telefonema do chefe da Guarda Indígena. Mais tarde, ela descobriu que Pabel havia sido sufocado até a morte com a alça de sua bolsa, onde suas Bíblias estavam guardadas.

“Eles supostamente o mataram porque queriam roubar sua moto. Eles me deram a moto, as chaves e dois capacetes”, disse Kelly ao 100 Huntley Street, um programa cristão do Canadá.

No início de fevereiro, Kelly, de 30 anos, foi para a região onde seu marido foi morto e se encontrou com moradores nativos. Na ocasião, dois sobrinhos do chefe índigena confessaram ter matado seu marido, mas se recusaram a dizer o porquê. Kelly tem certeza de que foi por causa de suas crenças cristãs.

Testemunha de Cristo

Durante aquele encontro, Kelly teve a chance de confrontar os dois homens e, ao caminhar em direção a eles, ouviu uma voz dentro dela dizer: “Este é o momento em que preciso ver o seu testemunho sobre mim. O fruto de tudo que você e seu marido tem feito nos últimos anos”.

Ela começou a pregar sobre Jesus, com as palavras que Deus colocava em sua boca. “Eu sempre estive na casa de Deus, Ele sempre esteve comigo. Mas quando esses homens estavam na minha frente, eu disse diretamente a eles: Vocês não conhecem o nosso Senhor”, disse.

Mais tarde, ela voltou para a aldeia com caixas de Bíblias, comprometida a continuar o legado de seu marido de permanecer pregando o Evangelho ao povo da Colômbia. “Demos Bíblias aos membros da aldeia indígena e também enviamos Bíblias aos dois rapazes que assassinaram Pabel”, conta.

“Nós podemos facilitar a entrega da Bíblia a uma pessoa e isso pode potencialmente mudar quem ela é. Sua vida, sua forma de pensar, seu coração, suas ações. E então essas mudanças vão melhorar uma família, uma tribo, uma cidade e até uma nação”, conclui a viúva.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/Rt0Cnn

Categorias
Sem categoria

ONU pode estar preparando “lista negra” de pessoas e grupos que discordam da agenda LGBT

A ONU (Organização das Nações Unidas) está se preparando para organizar uma lista de “grupos de ódio LGBT”, conforme alerta o grupo conservador Center for Family and Human Rights. A “lista negra” poderia ser usada para punir grupos e organizações que seguem crenças tradicionais sobre gênero e sexualidade.

Em relatório, o grupo observou que “o escritório de direitos da ONU está coletando nomes de pessoas ou grupos que se opõem, de alguma forma, à agenda LGBT”. Victor Madrigal-Borloz, especialista das Nações Unidas em orientação sexual e identidade de gênero, visa coletar informações sobre as ações de cada país — quais organizações concordam com a ideia da existência de apenas dois gêneros (masculino e feminino).

Borloz observa que “muitos Estados já adotaram o gênero como conceito-chave nas leis e políticas destinadas a proteger pessoas LGBT”. Seu argumento para a formação da lista é o enfrentamento à “violência e a discriminação com base na orientação sexual e identidade de gênero e seu impacto específico sobre os direitos sexuais e reprodutivos”. Vale lembrar que o termo “direitos reprodutivos” tem sido utilizado para substituir a palavra “aborto”.

Banco de dados

A lista com os nomes de pessoas e grupos que se opõem à agenda LGBT estará associada a um banco de dados que vai detalhar as formas de violência e discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, entre outros títulos do grupo.

Essa ação causa uma preocupação especial ao Center for Family and Human Rights, já que pode atingir os cristãos em suas crenças e enquadrá-los como formadores de “discurso de ódio” quando não é o caso. O grupo lembrou que “Borloz já havia incitado as nações a tomar medidas decisivas contra os representantes de igrejas e grupos religiosos que ‘infringem’ os direitos das pessoas LGBT”.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/RswDt8

Categorias
Sem categoria

Biden ameaça sanções contra a Nigéria por não adotar a agenda LGBT

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ameaçou aplicar “sanções financeiras” na Nigéria e em outros países africanos que não aderirem a agenda LGBT. No memorando, o democrata afirma que as agências federais devem buscar formas de combater a discriminação.

De acordo com o Daily Post, o governo Biden orienta as agências a “conduzir e expandir esforços para combater a discriminação, homofobia, transfobia e intolerância com base no status ou conduta LGBTQI +”.

O documento promete consequências contra os países que não adotarem as medidas.

Ele diz que os países que estiverem “contribuindo para um clima de intolerância” enfrentarão consequências, “incluindo o uso de toda a gama de ferramentas diplomáticas e de assistência e, conforme apropriado, sanções financeiras, restrições de visto e outras ações”.

Ao discursar sobre o memorando, Biden afirmou que ao forçar a agenda LGBT para outros países estaria restaurando “nossa liderança moral”. “Os Estados Unidos estão na vanguarda dessa luta – falando abertamente e defendendo nossos valores mais queridos”, diz um trecho do memorando.

Entre os países na África que mais correm risco de sofrer sanções, estão aqueles com uma linha mais conversadora e com raízes profundas no Cristianismo, como Nigéria, Uganda e Quênia.

Ainda não está claro se o atual governo da Nigéria cederá à pressão do governo dos Estados Unidos, já que o país tem uma lei que proíbe o reconhecimento do casamento homossexual.

Desde que assumiu o governo, Joe Biden vem impondo ações que beneficiam a agenda LGBT, incluindo a defesa do uso de banheiros por transexuais.

Fonte: Gospel Prime
http://dlvr.it/Rsr5zC

Categorias
Sem categoria

Culto é invadido e cristãos são multados pela polícia no Cazaquistão

No início do mês de janeiro, a polícia invadiu uma reunião de adoração em Oral, Noroeste do Cazaquistão, e multou Dmitry Isayev e Vladimir Nelepin por realizarem a reunião sem aprovação do Estado. Alguns dias depois, outro cristão, Nikolai Novikov, foi multado por distribuir literatura cristã na rua.

Não é a primeira vez que Novikov enfrenta acusações e, como membro do Conselho Batista de Igrejas, ele se recusa a pagar as multas. A igreja não registra ou paga multas, argumentando que não deve ser punida por exercer o direito à liberdade religiosa.

Em 2020, pelo menos 16 cristãos cazaques foram multados por atividades religiosas ilegais, incluindo liderar uma igreja não registrada e distribuir e vender literatura cristã.

Caminhando para a mudança?

As atividades religiosas são fortemente controladas pelo governo do Cazaquistão, sob o pretexto de acabar com a ameaça do extremismo islâmico.

Apenas igrejas aprovadas pelo Estado são permitidas, e as comunidades protestantes são particularmente visadas por serem consideradas “estrangeiras” e uma ameaça ao sistema político. Outros grupos, como as Testemunhas de Jeová e determinadas seitas muçulmanas também enfrentam perseguição.

Em 2020, no entanto, a Comissão dos EUA para a Liberdade Religiosa Internacional, um órgão bipartidário do governo, observou que as coisas começaram a mudar no Cazaquistão. Não só houve uma diminuição nos processos administrativos envolvendo crimes religiosos em 2019, como o governo arquivou a implementação de novas restrições com base em uma lei religiosa restritiva de 2011. O governo também começou a se envolver com entidades dos EUA com o objetivo de melhorar a liberdade religiosa no país.

Os parceiros da Portas Abertas na Ásia Central acreditam que ainda é cedo para ser otimista sobre os desenvolvimentos no Cazaquistão. “As eleições, no final de 2020, foram realizadas sem que nenhum partido da oposição participasse e a atitude do governo em relação a ativistas e jornalistas também não mudou. Não sabemos o que esperar para os cristãos no país”, compartilha um colaborador.

No ano passado, duas igrejas vizinhas na capital Nur-Sultan foram informadas de que os edifícios eram necessários para a construção de um novo jardim de infância. Na época, representantes de igrejas da área disseram aos parceiros da Portas Abertas que as igrejas registradas eram verificadas com frequência e enfrentavam maiores restrições; para igrejas não registradas, a situação era ainda pior.

Fonte: Portas Abertas
http://dlvr.it/RsmR8P

Categorias
Sem categoria

Novo presidente da Capes sugere inclusão do criacionismo e design inteligente na Educação

Benedito Guimarães Aguiar Neto, o novo presidente da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior) afirma que vai defender a “pluralidade de pensamento” durante sua gestão.

Antes de assumir a Capes, Aguiar foi reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie. À frente da universidade, ele promoveu eventos para defender as teorias. O ex-reitor substituiu Anderson Ribeiro Correia.

Apoio à criatividade intelectual

“Sem liberdade de cátedra, não há nem a criatividade intelectual, nem as soluções dos problemas nacionais”, disse. “O fomento à apropriação e ao desenvolvimento do conhecimento científico e tecnológico para soluções de problemas nacionais serão prioridades em minha gestão”, destacou.

Durante uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Aguiar afirmou que a teoria da evolução precisa de um contraponto. Para ele, é justo que a ideia da existência de um design inteligente faça parte da educação básica. “Dessa maneira podemos, com argumentos científicos, discutir o criacionismo”, disse.

Boa reputação

Flávia Calé, presidente da Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG), falou sobre Aguiar, entrevista ao G1. “O que sabemos é que ele é aberto ao diálogo e não tem histórico de ingerência na administração de universidades. Ele tem uma trajetória acadêmica reconhecida e oito anos à frente do Mackenzie, que tem pesquisa sendo desenvolvida”, afirmou.

Aguiar se formou em Engenharia Elétrica em 1977 pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e concluiu mestrado na mesma instituição em 1982. Concluiu o doutorado na área em 1987 pela Technische Universität Berlin, na Alemanha; e o pós-doutorado em 2008 pela University of Washington, nos Estados Unidos.

Críticas

A Revista Science disse que a nomeação de um defensor do criacionismo para comandar a agência que avalia os programas de estudo de graduação no Brasil “deixou cientistas preocupados sobre a interferência da religião na ciência e na política educacional”.

À TV Globo, o professor Sandro José de Souza, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), afirmou que o criacionismo é retrógrado. Já o Núcleo de Apoio à Pesquisa em Educação, Divulgação e Epistemologia da Evolução Charles Darwin, da Universidade de São Paulo, disse que “se a prática do criacionismo for consumada, afrontará a própria Constituição”.

Fonte: Guiame
http://dlvr.it/Rshdpn